Biblioteca Florestal
Digital

Evolução da cobertura vegetal e uso da terra na área do assentamento rural no sudeste paraense: o caso do projeto de assentamento agroextrativista Praialta e Piranheira

Show simple item record

dc.contributor.author Sampaio, Sandra Maria Neiva
dc.contributor.author Venturieri, Adriano
dc.contributor.author Watrin, Orlando dos Santos
dc.contributor.author Silva, Benedito Nelson Rodrigues da
dc.contributor.author Silva, Luiz Guilherme Teixeira
dc.contributor.author Homma, Alfredo Kingo Oyama
dc.contributor.author Carvalho, Rui de Amorim
dc.date.accessioned 2013-08-05T19:03:55Z
dc.date.available 2013-08-05T19:03:55Z
dc.date.issued 2004
dc.identifier.citation SAMPAIO, S. M. N. et al. Evolução da cobertura vegetal e uso da terra na área do assentamento rural no sudeste paraense: o caso do projeto de assentamento agroextrativista Praialta e Piranheira. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, n. 36. ano. 29p. pt_BR
dc.identifier.issn 1676-5265
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br/handle/123456789/3619
dc.description.abstract Este estudo teve como objetivo analisar a evolução da cobertura vegetal e do uso da terra nos períodos de 1984-1997 e de 1997-1999, em uma área de assentamento rural do Sudeste Paraense denominada Projeto Agroextrativista Praialta e Piranheira, com área de 30.308,67 hectares. Foram utilizadas imagens Landsat-TM e técnicas de geoprocessamento conduzidas no programa SPRING for Windows, sendo definidas 7 classes temáticas em 1984 e 1997 e 8 em 1999. Com base nos resultados e no avanço da fronteira agropecuária na região, somadas à pressão migratória e à ocupação de áreas facilitadas pelo acesso após a abertura da Rodovia PA-150, verificou-se que no período de 13 anos (1984-1997), a área ocupada com Floresta Primária foi reduzida em 29%. No período seguinte (1997-1999), observou-se um maior redirecionamento no processo de sucessão entre as classes temáticas, em decorrência da estabilidade da Floresta Primária que perdeu apenas o equivalente a 2,55% de sua área, bem como a maior dinâmica da vegetação secundária por sua flutuação para outros usos, principalmente pastagem, com destaque para o Pasto Sujo. Esta mudança está associada à existência de uma forte tendência para esse tipo de atividade na área de estudo. Assim, os padrões de vegetação e uso da terra, compreendidos como um mosaico dinâmico de diferentes tamanhos e estruturas, possibilitam observar diferentes combinações de escalas de espaço e de tempo, onde parecem ser estáveis numa grande extensão e mostram-se extremamente dinâmicos em pequenas manchas. pt_BR
dc.format 29 páginas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Embrapa Amazônia Oriental pt_BR
dc.relation.ispartofseries Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento;Número 36
dc.subject.classification Ciências Florestais::Manejo florestal::Geoprocessamento e sensoriamento remoto pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Silvicultura::Solos e nutrição florestal pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Meio ambiente::Ecologia e ecossistemas florestais pt_BR
dc.title Evolução da cobertura vegetal e uso da terra na área do assentamento rural no sudeste paraense: o caso do projeto de assentamento agroextrativista Praialta e Piranheira pt_BR
dc.type Boletim Técnico pt_BR

Files in this item

Files Size Format View Description
36_Evolução-da- ... -Praialta-e-Piranheira.pdf 785.2Kb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar Boletim

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account